Abóbara


Planta rasteira da família das cucurbitáceas que 7000 anos a.C. já era plantada no México, de onde se espalhou pelo mundo. Existem cerca de 760 espécies de abóbora A abóbora ou jerimum se destaca entre as nossas hortaliças pelo seu alto valor nutritivo, assim como pelo seu total aproveitamento e fácil digestão.

Atua controlando o nível de glicose no diabetes, o colesterol e a gordura no sangue.

Ajuda na constipação intestinal, graças às fibras, e as sementes são vermífugas principalmente contra a Taenia solium (solitária).

Aplicada sobre a pele, a abóbora tem ação emoliente e é útil no tratamento de queimaduras de primeiro grau e manchas na pele. Sua flor pode ser usada macerada para diminuir o inchaço em erisipela ou podem ser consumidas como vegetais e são ricas em phenólicos, antioxidantes poderosos.

As sementes secas ao Sol ou ligeiramente tostadas no forno podem também ser usadas na alimentação. Quando a semente inteira é consumida, todo o tocopherol (Vit E) está presente.

Indicações Terapêuticas

A abóbora é de fácil digestão, laxativa e diurética, é indicada na recuperação de enfermidades agudas do aparelho digestivo, especialmente inflamações dos intestinos. Ajuda a manter o PH do organismo, combate a prisão de ventre e alivia o desconforto causado pelas hemorróidas.

De alto valor nutritivo, a abóbora contém grande quantidade de vitamina A, indispensável aos olhos; a saúde da pele e das mucosas; evita infecções e ainda auxilia o crescimento.

É rica em fosfatos e em globina, que é boa para o cérebro, fígado, os rins e os intestinos. Possui ainda Niacina, que faz parte das vitaminas do Complexo B, cuja função é evitar problemas de pele, do aparelho digestivo, do sistema nervoso e reumatismo. Possui ainda, sais minerais como Cálcio e Fósforo, que participam da formação de ossos e dentes, construção muscular, coagulação do sangue e transmissão de impulsos nervosos.