Maçã


A maçã, do gênero Malus e da familia Rosaceae, é uma das frutas mais cultivadas do mundo, com mais de 7500 espécies e variedades. As diferentes espécies encontram-se em climas temperados e subtropicais, já que as macieiras não florescem em áreas tropicais, pois necessitam de geadas.

Para melhor aproveitamento das suas vitaminas, o ideal é consumi-la ao natural com casca, pois é junto dela que está a maior parte das suas vitaminas e os sais minerais.

Quando a ingestão de maçã crua for desaconselhável por algum motivo, pode-se consumi-la fervida, assada, em compota, levando em consideração que: assada a maçã perde água; fervida impregna-se dela e os minerais diluem-se na água; a vitamina A se perde em qualquer um dos casos; as demais vitaminas também se reduzem em três quartas partes; o açúcar da fruta (sacarose) também se perde.

A maçã tem notáveis virtudes curativas. O próprio termo “pomada” teve origem nos ungüentos cicatrizantes à base de maçãs e azeite, já que seu nome antigo, conservado até hoje em alguns idiomas, era "poma". Um bom exemplo é a maçã cozida em forma de geléia, é bom ungüento para as dores reumáticas, onde fricciona-se as partes afetadas, livremente, a qualquer momento.

Maçãs em purê combate palpitações cardíacas. Para inflamações dos olhos deve-se lavar duas vezes ao dia com algodão embebido em suco de maçã ácida ou pedaços de gaze com polpa de maçã bem madura, aplicadas diretamente sobe os olhos fechados e fixadas com atadura, por uma ou duas horas.

Indicações Terapêuticas

A maçã é uma excelente fruta alcalina e terapeuticamente eficaz em todas as condições de acidose, gota, reumatismo, obesidade, diabetes, icterícia e em todos os transtornos do fígado e da vesícula, bem como nas enfermidades dos nervos e da pele, causadas por um fígado preguiçoso, pela hiperacidez e por estados de intoxicação.

A maçã ajuda a digestão, pois ativa a secreção das glândulas salivares e gástricas; combate a anemia; evita a formação de úlceras de estômago; combate a diarréia, principalmente infantil, devido à sua ação adstringente e tem ação antifebril. Na maçã madura ocorre a transformação da pectina (substância encontrada na casca e próximo da semente) em ácido péptico e preserva suas propriedades antidiarréicas mesmo depois do cozimento, agindo como emoliente (amaciante) das paredes do intestino, onde fixa e retém a água e sais minerais

Atua também com bons resultados na tuberculose, na bronquite e na asma, graças ao seu conteúdo em ferro. O caldo de maçã cura os catarros pulmonares. De modo geral, maçã é bom para as afecções das vias respiratórias. As afecções da garganta em geral se combatem com uma dieta de maçã acompanhada de gargarejos de suco de maçã, quando quentes, curam a rouquidão.

O suco de maçã também combate a difteria, as febres, os cálculos do fígado e dos rins, as inflamações da bexiga e do aparelho urinário e os catarros intestinais. O purê de maçã combate as palpitações do coração.

É rica em quercetina, substância que ajuda a evitar a formação dos coágulos sanguíneos capazes de provocar acidentes vascular cerebral (derrames).

A sua casca seca é empregada como chá diurético e para purificar o sangue (em virtude do seu conteúdo em ácido málico, que elimina os detritos provenientes do metabolismo).