Alimentação e seus Nutrientes

Urana Harada
Profissão: Médica naturalista

O nosso organismo necessita de nutrientes na proporção adequada que varia de acordo com a idade, atividade que desenvolve, condições e estilo de vida. São eles: glicídios, lipídios, proteínas, vitaminas, sais minerais, água, oligoelementos e enzimas.

1 - GLICÍDIOS (carboidratos ou hidrato de carbono ou açúcar): esses macronutrientes constituem a maior parte dos alimentos que se consome. As frutas, hortaliças e leguminosas (feijão, ervilha, grão de bico, lentilha, soja, etc), as féculas (batata, mandioca, etc), as oleaginosas (nozes, amêndoas, avelã, castanhas do Pará, castanhas de caju, pinhão, amendoim, etc), os cereais (trigo, centeio, cevada, aveia, arroz, milho, etc) e os grãos (gergelim, girassol, linho, sementes de abóbora, etc), são boas fontes de carboidrato (glicose, frutose, maltose, sacarose, etc).
Existem 3 tipos de carboidratos:
a) os carboidratos simples ou açúcares, que são absorvidos como fonte imediata de energia para o corpo;
b) os carboidratos complexos ou amidos, que são a melhor fonte de energia para o organismo;
c) a fibra é uma espécie de polissacarídeo que resiste à digestão pelas enzimas e ácidos do corpo.
Os açucares naturais, inclusive o da rapadura, o mel e os extraídos do malte são absorvidos pelo intestino delgado e não provocam hiperglicemia brusca (elevação da taxa de açúcar no sangue). Além disso contém os minerais, as enzimas e as vitaminas necessárias ao metabolismo.
Os amidos são chamados de polissacarídeos (vários açúcares) por serem compostos de cadeia de açúcares simples, encontra-se em cereais não refinados, como pão integral, arroz e massas de trigo integral, em raízes vegetais como batata, macaxeira, etc.
A fibra solúvel forma uma substância gelatinosa no aparelho digestivo, que parece prender o colesterol para que este não seja absorvido. É conhecido como "vassoura natural" do organismo, pois ele reduz o tempo de passagem do alimento pelo intestino e o mantém limpo. As fibras são encontradas em frutas, hortaliças, cereais não refinadas e leguminosas. Embora todos os tipos de carboidratos sejam importantes, é melhor comer a maior parte deles na forma de polissacarídeos.

2 - LIPÍDEOS OU GORDURAS: A gordura é uma fonte concentrada de energia, e contém várias vezes mais calorias que os açúcares. As gorduras saturadas são as "vilãs" do mundo da nutrição. Uma dieta, com alta taxa de gordura saturada, pode aumentar o risco de adquirir doenças cardiovasculares, degenerativas ou câncer. As gorduras de origem animal (leite, laticínios, carne, ovos, e outros), contêm uma porcentagem elevada de ácidos graxos saturados, rico em colesterol, que obstruem as paredes das artérias.
Os ácidos grassos ômega - 3, que se encontram em peixes, ainda em maior concentração nos do mar, podem reduzir o risco de um ataque cardíaco, podendo também reduzir a inflamação causada por doenças auto-imunes, como a artrite reumatóide. As gorduras de origem vegetais contêm ácidos graxos insaturados e polinsaturados. Óleos como o azeite de oliva, entre outros, diminuem o risco de se adquirir doenças cardíacas". Os óleos e gorduras devem ser extraídos a frio e não ser misturadas a agentes químicos industriais, como corantes, conservantes, estabilizantes, e outros. Consumidas cruas e em quantidade moderada não criam problemas de saúde. Nenhum óleo de origem vegetais contém colesterol. Devendo se evitar as frituras, dado que este processo de exige alta temperatura, fazendo com que os óleos se sobre-saturem, fora da aparição de outros subprodutos daninhos para a saúde. Todas as gorduras provocam aumento de peso, quando consumida em excesso.

3 - AS PROTEÍNAS: Depois da água, é a substância mais abundante em nosso corpo; e parte integrante de toda célula viva. Existem proteínas vegetais (hortaliças, leguminosas, fécula, cereais, grãos, levedo, nozes, cogumelos, etc.) e proteínas animais (carne, laticínios, ovos, peixes, crustáceos, etc.). A carne vermelha contém bastante gordura saturada com as proteínas; o peixe contém bastante ácidos graxos ômega-3; as leguminosas, como feijão soja, são fontes de proteínas com pouca gordura, quando balanceadas com frutas secas, sementes e grãos. Muitos problemas crônicos (reumatismo, alergias, problemas digestivos, cansaço, depressão, problemas de pele, etc,) melhoram ou desaparecem quando se deixa de consumir produtos de origem animal, ricos em cadaverina.

4 - ÁGUA: É a substância que se encontra em maior proporção em nosso organismo (mais que 60%), variando de acordo com a idade e com o metabolismo. No tecido muscular a proporção de água é bem maior do que nos ossos e nas cartilagens. Nos embriões a quantidade de água é maior do que no adulto. Os tecidos de maior metabolismo (atividade) têm mais água em sua composição. É o líquido em que estão dispersas as partículas do colóide celular. A água é importante fator de regulação da temperatura dos seres vivos. A melhor água é a da fonte, consumida fresca. A clorada de torneira devem ser evitadas, assim como das fontes suspeitas de contaminação.

5 - SAIS MINERAIS: São as substâncias inorgânicas encontradas em nosso organismo. A nossa nutrição não fica completa sem os sais minerais, que podem ser encontrados na forma não dissociada e dissociados em íons. No primeiro caso, formam os esqueletos, as carapaças e as cascas dos ovos de certos animais. Na forma dissociada, os sais minerais participam de numerosas atividades celulares, tais como: permeabilidade, irritabilidade, contractilidade, osmoregulação, viscosidade celular. É necessária, então, a manutenção de um balanço iônico entre os teores de sais do interior do organismo vivo e o de seu meio ambiente. Uma variação mínima desse balanço poderia acarretar sérios danos, modificando as atividades celulares. Dentre os sais minerais mais comuns destacam-se os sais de sódio, de potássio, de cálcio, de ferro e de magnésio. Esses sais podem apresentar-se sob a forma de cloretos, fosfatos, carbonatos e sulfatos, principalmente. Podem também ser encontrados associados à substâncias orgânicas. O ferro, por exemplo, faz parte da molécula de hemoglobina, que é o pigmento responsável pela cor vermelha do sangue.

5 - VITAMINAS: As vitaminas são substâncias que o corpo necessita para o crescimento normal e manutenção dos tecidos. Embora sejam necessárias só em pequenas quantidades, a maioria das vitaminas, devem ser supridas pela dieta, porque o corpo não consegue produzi-las. As vitaminas podem ser divididas em dois grupos: as solúveis em água e as solúveis em gordura. As solúveis em água incluem os complexos 13 e a vitamina C. As solúveis em gorduras, são as vitaminas A, D, E e K, que podem ser armazenadas no corpo ou produzidas no organismo como a vitamina K, que a flora normal do intestino sintetiza. As solúveis em água não, daí a necessidade de serem constantemente repostas por frutas e hortaliças, que são fontes excelentes de várias vitaminas.

6 - ENZIMAS: As enzimas são proteínas que atuam como catalisadores biológicos. Estes agentes, aumentam a velocidade das reações químicas. Temos vários tipos de enzimas, as digestivas: como a ptialina, encontrada na saliva; a pepsina, encontrada no suco gástrico; a tripsina, encontrada no suco pancreático; as lípases, encontradas no suco pancreático e no suco entérico. Cada enzima digestiva atua apenas sobre uma substância específica, condicionando e acelerando o seu desdobramento em substância mais simples. Assim por exemplo, a ptialina atua somente sobre o amido e a pepsina somente sobre as proteína, transformando-os, respectivamente, em maltose e peptonas. As enzimas são destruídas pelo cozimento; o alimento pobre em elementos crus priva o corpo das enzimas que precisa para digerir e despoluir as células. Os alimentos de grande energia, os biogênicos e bioativos, não necessitam de grandes quantidades de enzimas. Ele contém de forma natural e equilibrada os elementos indispensáveis à vitalidade das células. As enzimas são importantes para corrigir os problemas provocados por anos de alimentação desnaturadas. Existem, hoje, um grande número de vitaminas naturais em comprimidos ou cápsulas (melhores que as sintéticas) e suplementos nutricionais (levedo, produtos lacto-fermentados, geléia real, pólen, algas, plantas secas, sais minerais, oligoelementos, etc) que são consumidos para corrigir os efeitos nocivos da alimentação enlatada.