Malhação para o cérebro

        Meditar parece funcionar como uma espécie de musculação para a massa cinzenta, já que deixa algumas de suas áreas mais encorpadas. Pelo menos é isso que dá para concluir de uma pesquisa publicada na revista britânica Neuroreport. Por meio de imagens de ressonância magnética, os cientistas analisaram o córtex de 20 indivíduos com vasta experiência num tipo de meditação que não requer a repetição de um mantra. Daí, os resultados foram comparados com os de não praticantes. Nos indivíduos que meditavam, regiões cerebrais por trás dos sentidos e da concentração, como o córtex pré-frontal e a insula, eram mais espessas. “Esses dados poderão servir de subsídio para avaliar alguns benefícios da meditação”, disse à SAÚDE! Sara Lazar, autora da pesquisa.

Fonte: Revista Saúde, nº 269, p 28 / Janeiro de 2006. Medicina Alternativa.